sexta-feira, 12 de abril de 2013

Poesia | Carlos Marighella - Liberdade




Não ficarei tão só no campo da arte,
e, ânimo firme, sobranceiro e forte,
tudo farei por ti para exaltar-te,
serenamente, alheio à própria sorte.

Para que eu possa um dia contemplar-te
dominadora, em férvido transporte,
direi que és bela e pura em toda parte,
por maior risco em que essa audácia importe.


Queira-te eu tanto, e de tal modo em suma,
que não exista força humana alguma
que esta paixão embriagadora dome.

E que eu por ti, se torturado for,
possa feliz, indiferente à dor,
morrer sorrindo a murmurar teu nome.


Carlos Marighella

5 comentários:

  1. Não entendo! ele lutava contra o comunismo , no entanto morreu como comunista?
    ... então traiu os " companheiros "?

    ResponderEliminar
  2. Ele não lutava CONTRA o comunismo.

    Veja esse documentário: http://www.youtube.com/watch?v=SF2Rt1-e8G8

    ResponderEliminar
  3. Hoje estivemos na Alameda Casa Branca, onde na noite de 04 de novembro de 1969 foi assassinado um dos maiores revolucinários brasileiros, Carlos Marighella, fundador da ALN - Ação nacional Libertadora. Não só a sua companheira e revolucionária Clara Chaff, como muitos dos antigos companheiros de luta, e a juventude que herdou seu sonho de liberdade. Carlos Marighella nasceu em salvador (BA), filho do imigrante italiano e da baiana negra, Maria Rita do Nascimento, descendente de escravos. Mário Magalhães, jornalista, escreveu sua biografia: "MARIGHELLA - O Guerrilheiro que incendiou o mundo", edit. Companhia das letras, São Paulo, 2012. Uma obra que fala de um dos períodos mais conturbados e ricos da História do Brasil. Recomendo a todos os estudantes e aos que amam esse país.

    Ao ato estavam presentes, além de sua companheira e também revolucionária, CLARA CHAFF, os antigos companheiros de luta, e a juventude herdeira de seu sonho de oiberdade; um sonho que jamais morrerá.

    Camarada Carlos Marighella? Presente!


    ResponderEliminar
  4. Hoje estivemos na Alameda Casa Branca, onde na noite de 04 de novembro de 1969 foi assassinado um dos maiores revolucinários brasileiros, Carlos Marighella, fundador da ALN - Ação nacional Libertadora. Não só a sua companheira e revolucionária Clara Chaff, como muitos dos antigos companheiros de luta, e a juventude que herdou seu sonho de liberdade. Carlos Marighella nasceu em salvador (BA), filho do imigrante italiano e da baiana negra, Maria Rita do Nascimento, descendente de escravos. Mário Magalhães, jornalista, escreveu sua biografia: "MARIGHELLA - O Guerrilheiro que incendiou o mundo", edit. Companhia das letras, São Paulo, 2012. Uma obra que fala de um dos períodos mais conturbados e ricos da História do Brasil. Recomendo a todos os estudantes e aos que amam esse país.

    Ao ato estavam presentes, além de sua companheira e também revolucionária, CLARA CHAFF, os antigos companheiros de luta, e a juventude herdeira de seu sonho de oiberdade; um sonho que jamais morrerá.

    Camarada Carlos Marighella? Presente!


    ResponderEliminar
  5. Marighella era um cara gente boa, com boas intenções, mas que se deixou ser enganado por causa dos seus sonhos, um talentoso que foi se perdendo nos lados de fanatismo da politica. Uns se perdem na corrupção e uns no fanatismo, como o Stalin. O Comunista no inicio é idealista, como o nazista, que também é um idealista. Mas a medida que o tempo passa, tanto o comunista como o nazista se perdem, e se tornam radicais fundamentalistas, que por serem extremo radicais são sim terrorismo. E devem ser combatidos como tal. Se vc é comunista ou nazista vc é um terrorista, ou se tornará em algum momento, mesmo contra sua vontade. A ideologia cega, e corrompe o carater, e daí já não tem mais caráter nem moral quem quer enfiar seu fanatismo e modo de "vida" utopia de mundo goela abaixo da população. #COMUNISMO = #NAZISMO = #TERRORISMO #Monstros ou infantis quem defende esse tipo de coisa.

    ResponderEliminar