quarta-feira, 26 de junho de 2013

Poesia | Ernesto "Che" Guevara - Contra o Vento e as Marés



Este poema (contra o vento e as marés) levará minha assinatura.
Deixo-lhes seis sílabas sonoras,
um olhar que sempre traz (como um passarinho ferido) ternura,
Um anseio de profundas águas mornas,
um gabinete escuro em que a única luz são esses versos meus,
um dedal muito usado para suas noites de enfado,
um retrato de nossos filhos.
A mais linda bala desta pistola que sempre me acompanha,
a memória indelével (sempre latente e profunda) das crianças
que, um dia, você e eu concebemos,
e o pedaço de vida que resta em mim.
Isso eu dou (convicto e feliz) à revolução
Nada que nos pode unir terá força maior.


Ernesto "Che" Guevara

1 comentário:

  1. nao existe comentarios q expliquem a vida de che. simplismente che.

    ResponderEliminar